Uma pesca sustentável é aquela cujas práticas podem ser mantidas indefinidamente sem, com isso, reduzir a capacidade das espécies alvo de manter níveis de população saudáveis e sem ter impactos negativos noutras espécies do ecossistema, ao remover as suas fontes de alimentação, prejudicar o seu ambiente físico ou capturá-las acidentalmente (Greenpeace, Portugal).

Os critérios para a compra de peixe sustentável, têm como base os tamanhos mínimos estabelecidos pela legislação europeia – Reg. (CE) nº 850/98 do Concelho de 30 de Março, e subsequentes alterações – estão igualmente previstos em legislação nacional, que contém um conjunto alargado de outras espécies, através da Portaria nº 27/2001, de 15 de Janeiro, alterada pelas Portarias nº 402/2002, de 18 de Abril, nº 1266/2004, de 01 de Outubro, e n.º 82/2011, de 22 de Fevereiro (DGRM). O estado do stock do pescado tem como fonte de informação a WWF Portugal.

Figura 1. As dimensões dos peixes são medidas da ponta do focinho até à extremidade da barbatana caudal ( imagem retirada de "Do mar à mesa - Segredos revelados do peixe e do marisco" da Associação de Mariscadores da Costa Vincentina e Sudoeste Alentejano).
Figura 1. As dimensões dos peixes são medidas da ponta do focinho até à extremidade da barbatana caudal (imagem retirada de “Do Mar à Mesa: Segredos Revelados do Peixe e do Marisco” de Dora Jesus, 2011).

Biografia:

  • JESUS, Dora (2011). Do Mar à Mesa: Segredos Revelados do Peixe e Marisco.

Webgrafia: